Uma carta para si no momento mais difícil da vida

carta

Em uma carta uma sublime descrição de uma dor e de uma superação

Oshin Ahlawat é uma escritora indiana, escreveu uma carta para si mesma em um momento em que considera ter sido o pior de sua vida.

carta
por Joanne Nam / Divulgação

Está carta é apenas pra você saber de duas coisas:

  1. Você não está sozinha.
  2. Vai ficar tudo bem.

Você se sente como um pedaço de mosaico em um mundo de obras primas perfeitas? Eu me sinto assim. Eu sou apenas uma estátua colada de todas as peças que as pessoas rasgaram, pedaços de mim que eu voluntariamente dei para os outros, pedaços que eles tiraram de mim sem meu consentimento. E a noite eu costumada olhar para mim e buscar quais partes da minha alma estavam faltando, alguma vez você já fez isso?

Já se perguntou, o que diabos aconteceu com você?

Quem fez isso contigo?

Porque fizeram isso contigo?

Você começa a olhar para seus defeitos, seus erros, porque é claro que onde tem fumaça há fogo.

Você deve ter feito alguma coisa de errado, né? Porque ‘ninguém machuca o outro sem motivo’. Sim, eles machucam. Sim, eles MACHUCAM SIM. Eu consigo ver agora.

Mas você ainda fica pensando sobre e não consegue perceber onde errou. Você falou muito alto? Não conversou o suficiente? Não riu o suficiente? Falou algo desagradável, sem querer?

Então você chora, chora…chora.

Você cobre sua camisa molhada de lágrimas, vestindo uma jaqueta. Eu fiz isso. Eu não gostava de incomodar as pessoas com meus problemas. Eles já tinham tantos problemas. Mas algumas pessoas estão verdadeiramente na sua vida porque te amam. Eu deveria ter acreditado nelas. Eu subestimei todo conforto que isso poderia me trazer, se eu tivesse feito isso. Por favor diga a alguém da sua vida, alguém que realmente se importa com você, apenas diga. A uma única pessoa. “eu não estou bem”.

Você chora no chuveiro. Você sente as lagrimas mais quentes que a água do chuveiro nas suas bochechas enquanto encara o chão do banheiro.

Você quer avançar, mas há sempre algo te puxando para trás, né?

“Esperança”

Eu sei.

Você ainda tem a esperança de que as coisas vão melhorar, ou vão voltar a ser como era antes.

Elas irão?

Esse sofrimento irá ter fim?

Por que você está sofrendo?

Sofrer vai te levar para um lugar melhor?

Não, não vai. É Sério. Isso está te consumindo vivo. Por favor, se salve.

Porque aqueles quem você está esperando, não vão nem olhar para trás e ver quantas vezes você costurou a si mesmo.

Pare de olhar para as costas deles, esperando que eles virem. Vire suas costas e caminhe para longe, corra, corra, corra, minha querida. Corra para dentro de si. Corra e se engaje em seu futuro.

Eu sei o quanto você se culpa mesmo quando não é sua culpa, mas ó! Você é uma pessoa maravilhosa. Sim, você É.

Você tem ideia de quanta força eu recebo em saber que você é capaz de levantar da cama, cantar no chuveiro, sorrir para seus pais, rir da piadas dos seus amigos, fazer seu trabalho? mas aí o que acontece quando você está sozinha no seu quarto? Porque o seu sorriso cai logo após fechar a porta?

Por quanto tempo você vai permanecer no seu quarto se perguntando quando as coisas vão mudar? Você sabe que não está sozinha? Eu sou assim também. Sim, eu sou.

Vá e se olhe no espelho. Vá e veja.

Olhe-se no espelho, querida.

Sob essa casca em que você nasceu dentro, olhe em seus olhos, você consegue ver? Você vê quão corajosa você é? Eu vejo. Você sabe quão brava você é por lutar pelo seu espaço nesse mundo, mesmo quando você não quer? O quanto você tenta se encaixar porque as vezes sua zona de conforto fica silenciosa demais? Está tudo bem.

carta
por Joanne Nam/ Divulgação 

Você não está sozinha.

Tente se amar. Eu sei que é duro, eu sei que parece fácil demais de dizer, mas na boa, ame seu dente estranho, ame seu cabelo enrolado, ame seus olhos marrons, ame suas orelhas pontudas, ame seu nariz comprido. Não são falhas, são parte de você.

O quão tedioso seria esse mundo, se todas as pessoas fossem iguais? Tão ilusoriamente “perfeitas”? Você torna o mundo interessante e vívido só por ser quem você é, percebe? Você tem noção do quão foda isso é? Não se odeie. Não tente se parecer com outra pessoa. É um desperdício de quem você é.

Pouquíssimas pessoas têm a força para espanar de si as coisas ruins que os outros fizeram com elas. Defina-se não pelo que as pessoas falam ou fazem com você, defina-se a partir de como você respondeu a essas coisas. Isso é quem é você! Não aquilo que fizeram com você. Defina-se por aquilo que você já tenha feito PELOS OUTROS.

Não se defina pelo que as pessoas infelizes, insatisfeitas, ignorantes falam sobre você. Falam porque isso as faz sentir bem por dois segundos, as fazem esquecer suas vidas patéticas e miseráveis. Tenha pena delas. Sinta-se feliz por não ser tão baixo a ponto de ter que degradar e fazer pouco dos outros, só para tentar sentir alguma coisa. Demanda muita força para se distanciar de coisas que você quer muito rasgar, por terem te machucado.

Demanda muita coragem para olhar para seu reflexo, ver suas lagrimas passando nas suas bochechas e não as secar com a mão, minha querida, não as seque.

Veja o quando dói.

Veja o quanto você é capaz de chorar por alguma coisa.

E quando tiver sentido tudo o que podia, esteja livre disso.

Transforme essas lagrimas em fagulhas de fogo que destruam aquela ponte, a ponte até aquele lugar ou aquela pessoa que estava te transformando em cinzas. Ressurja como uma fênix. Ressurja como o sol que está lá em cima olhando para você. Você não está chorando por ser fraca, você só está sendo forte por tempo demais.

E agora que você está ferida, comece a se curar.

Observe-se. Você é toda a ajuda que precisa.

Avalie quais partes estão faltando.

Seus hábitos, suas coisas favoritas que um dia esquecera, seus hobbies, você se lembra de suas músicas favoritas de 5 anos atrás?

Faça uma lista, minha cara. Eu chamo a minha de “kit de primeiros socorros”.

Uma lista de todas as coisas que fazem você muito felizes por estar viva, não precisa ser algo complicado, podem ser coisas como:

Molhar as plantas, a luz do sol que passa na sua cama as 10h da manhã, dançar na chuva ou brincar na neve, olhar o por do sol ou o nascer do sol, ajeitar seu quarto com coisas legais, passear com seus animais, comer pizza assistindo seu filme ou série favorita, procurando quantas pessoas tem o nome igual ao seu no mundo, o quão maravilhoso é tudo isso?

Faça coisas que te recomponham.

Saiba quais são essas coisas.

Saiba quais coisas você parou de fazer e que sempre amou fazer.

E se você descobrir que tais coisas já não te interessam mais como antes, ei, o mundo é GIGANTESCO, cheio de trilhões de possibilidades interessantes.

Você vai gravitar em torno dessas coisas, se você estiver livre. Corte a corda que te prende pra baixo. Seja seu próprio refúgio.

Pegue uma bicicleta e vá andar na cidade, você conhece os arredores de sua própria casa? Escreva poesias românticas sobre si, romantize-se. Escreva coisas sobre si que gostaria que outros tivessem escrito.

Decore a parede de seu quarto. Escreva um diário onde você escrever sobre as coisas que você vê, durante o dia, que te fazem parar e observar, que te fazem se sentir maravilhada. Eu escrevo sobre como o céu é bonito durante o dia, durante a noite. Você não precisa entrar em detalhes prolongados sobre seu dia, apenas uma linha é suficiente. Lembre-se da sua vida como você a vive.

Torne-se imortal.

Veja, você subestima sobre o que é a vida. As pessoas sempre irão te machucar, trair, te deixar para baixo, te deixar em função de algo melhor, te puxar pra baixo com elas.

Mas também há pessoas que são o contrário

Elas te dão espaço em seus corações, elas ficam para trás e te esperam, elas seguram a sua mão quando você está andando sozinha, elas cantam músicas de parabéns em público sabendo o quanto isso é embaraçoso. Encontre essas pessoas.

Construa confiança novamente, não construa favores. Não tenha medo.

Segure seus joelhos quando elas se agitarem, tampe seus ouvidos e desconsidere quando alguém disser algo de ruim para você, ou não, ria na cara dela. Pergunte-a, “me desculpe, mas você me conhece melhor que eu a mim mesma? Eu não acho. Então, a única merda que você está tentando fazer é me mostrar o quão patética você é. Tá certo. Continua se você tem necessidade disso, mas saiba, eu sei que eu sou, mas é claro que não é isso que você pensa.”

Construa paredes que um dia te protegeram, mas não se prenda dentro delas. Construa uma porta e janelas, decore essa parede com seus pôsteres favoritos. Construir paredes não é algo triste ou solitário, apenas não as estabeleça de modo a trancar todo mundo do lado de fora, ou se trancar por dentro. Os outros nunca se cansarão de te observar de fora, você é que se cansará de olhar para fora. Não torne sua vida infeliz, proteja-se tá?

A vida é tão, tão curta, não vê? E essa vida não um teste. Conheça-se (não é tão difícil, não se preocupe, tá?) E então apenas seja quem você é. Está tudo bem, algumas pessoas não vão gostar de você, mas quer saber? Não importa. Porque você sabe QUEM você realmente é e o que eles pensam que falta em você, não te afeta nem um pouco. As pessoas corretas vão te encontrar. Ou então você vai encontrar as pessoas corretas. Não pare de procurar. Não ache não vai achar. Acredite, você vai. Tá? Você VAI.

Seja generosa consigo, com os outros. todos nós já passamos por muita coisa. Estamos assustados. Farei o resto da minha, o melhor da minha vida.

E eu estou cansada de ser incapacitada por todos os medos e dores que eu carrego por TANTO tempo, todas essas coisas que fizeram eu baixar meus ombros; eu estou endireitando minha coluna. Estou me levantando do chão. Eu vou me levantar, e você? Vamos?

Carta de Oshin Ahlawat para si mesma, que acaba sendo para muitos de nós.

Fontes: The letter i wrote to myself when i was at the lowest point in my life

Leave your vote

4 points
Upvote Downvote

Total votes: 4

Upvotes: 4

Upvotes percentage: 100.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%