Pequenos prazeres, grandes válvulas de escape

Quem não tem uma listinha ainda, vamos aproveitar a deixa e fazer? Afinal, A vida é mais bonita quando nós aproveitamos os pequenos prazeres dela.

Parece um assunto clichê, batido, e talvez seja, mas costumamos ser consumidos pela rotina e ignorar a beleza, os prazeres que existem nas pequenas coisas. Por isso eu acho necessário voltar sempre nesses assuntos. Por uma vida mais bonita, mais leve, mais alegre. As vezes a rotina, os compromissos, as metas, os objetivos e todas as tarefas que nós acumulamos no dia a dia acabam nos tomando de assalto toda a atenção, todo o nosso tempo e os nossos olhares, não é?! Tal hora você se pega fazendo tudo maquinalmente, no modo automático, como se nada mais ao redor da rotina importasse. Importa! Vamos fugir do piloto automático, por favor!

prazeres
O Fabuloso Destino de Amélie Poulain / Divulgação

Eu também achava esse discurso um exagero do alto dos meus 16 anos, quando minha única preocupação era ler uns livros, assistir uns filmes e comentar sobre eles com a turminha, fumando escondido atrás do colégio. Obviamente eu estava enganado. Como eu sempre digo: nós crescemos! Pausa para agradecer por mais essa dádiva. Obrigado, Universo!

Então, proponho um exercício, a porta de entrada para uma epifania: vamos responder algumas questões. Não vale se enganar! Qual foi a última vez que você olhou para o céu enquanto caminhava na rua? Ou quando você terminou o expediente e o sol ainda brilhava lá fora e você não saiu correndo sem perceber isso? Qual foi a última vez que você sentiu o cheiro da sua comida por puro prazer? E a última vez que você deixou a água cair na cabeça sem pensar em nada, no chuveiro? Qual foi a última vez que você realmente sentiu/valorizou o sorriso de um desconhecido, do padeiro, do motorista do ônibus?

Pois bem. Eu pressinto que uma maioria esmagadora diria que “há um bom tempo” ou “não me lembro”… e, infelizmente, é comum demais. E essas são cenas até bem rotineiras sim, suscetíveis a cair no banal, passar batido, mas são algumas coisas que eu considero lindas, de uma preciosidade delicada e sutil, mas que podem não fazer sentido ou ter relevância para muita gente. Ainda assim, acho que cada pessoa se identificaria com alguma coisa sutil desse tipo que aconteça em meio à rotina, desde o caos urbano até a monotonia de vidas pacatas. O Universo está cheio desses pequenos detalhes, dessas graciosidades que parecem se alinhar bem diante de nós, como um contrapeso que equilibra uma balança. Vai de pessoa para pessoa desenvolver uma certa sensibilidade para captar essa vibração positiva nas coisas, nas cores, nas pessoas, na atmosfera.

prazeres
O Fabuloso Destino de Amélie Poulain / Divulgação

Alguém deve estar especulando, como eu também costumava fazer, o que aconteceria se nós fizéssemos disso uma prática corriqueira, atentar para os pequenos detalhes sempre e que supostamente eles perderiam a magia. Isso nunca vai ser um problema, vá por mim! Sempre vai existir algo novo, nós vamos amadurecer e enxergar as coisas diferentes também. A vida é cíclica, raramente você vai ver algo amanhã com o mesmo olhar de ontem. Vai haver ainda alguém pensando no quão cansativa pode ser essa atenção constante e, não, não é bem assim. Esses pequenos prazeres estão por aí, você não precisa cavá-los em cada cena cotidiana, eles vão vir até você de forma natural, você só tem de se condicionar a enxergar essa beleza na vida, essas “coincidências” tocantes em meio ao caos.

Para uma melhor fixação do exercício do condicionamento de uma percepção mais positiva, eu costumo estabelecer alguns diálogos comigo mesmo. Vamos lá. Primeiramente, se conheça, estimule seus sentidos, de verdade, passe a se perceber parte do Universo, componente dessa energia, dessa unidade em que está inserido. Segundo, tente não focar/empacar nos aspectos negativos de uma situação, mesmo que sejam um tanto quanto pungentes, tente não ficar repetindo o quanto aquilo é difícil, energia negativa atrai energia negativa. E é sobre esse lance de energia que é o terceiro ponto: emane a energia que você gostaria de receber! É imensamente lindo quando alguém se insere num contexto que te traz algum prazer em estar vivo, de estar ali, naquele momento, certo? Imagine só ser essa mesma pessoa para alguém! Imagine dar motivos para alguém ter um dia melhor! É impagável. Caridade também é sobre isso, mas isso é pauta para outro dia. Por hora acho que é só. Vamos nos sentir felizes com pequenos prazeres, por menores que sejam, afinal, eles ressignificam a nossa passagem pela vida e dão uma leveza de ser e atravessar muito maior!

prazeres
O Fabuloso Destino de Amélie Poulain / Divulgação

Leave your vote

2 points
Upvote Downvote

Total votes: 2

Upvotes: 2

Upvotes percentage: 100.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%