10 mitos sobre o suicídio que precisam ser derrubados

suicídio

derrube dez mitos sobre o suicídio

A cada 45 minutos uma pessoa se mata no Brasil. E a cada 40 segundos, alguém se mata em alguma parte do mundo. As informações são do CVV, o Centro de Valorização da Vida. Desde 1962, a instituição se dedica à prevenção do suicídio no Brasil através de atendimento telefônico gratuito. Recentemente, a organização anunciou que vai se juntar ao Facebook. Será desenvolvida uma ferramenta online para facilitar ainda mais o atendimento para quem precisa.

A mudança na abordagem do CVV se dá em razão do dado alarmante que começa este texto. E para chamar atenção para a temática, espaços púbicos do mundo inteiro recebem uma iluminação especial na cor amarela durante o mês de setembro. A iniciativa, chamada de Setembro Amarelo,  surgiu no Brasil em 2014 mas já ganhou forte adesão Brasil afora, inclusive nas redes sociais.

Encabeçada pelo próprio CVV, pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) e pela ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), a campanha pretende quebrar tabus, falando sobre o assunto, esclarecendo, conscientizando e estimulando a prevenção para reverter esse cenário.

A contribuição do Spread Welo para a campanha é trazer 10 mitos sobre o assunto que precisam ser derrubados. As informações foram retiradas de uma cartilha publicada pela Organização Mundial de Saúde. E aí, vamos derrubar esses mitos?

suicídio
por Xoana Herrera / Divulgação

Mito 1: As pessoas que falam sobre o suicídio não farão mal a si próprias, pois querem apenas chamar a atenção. FALSO.  Fique de olho em que idealiza  um plano suicida. Todas as ameaças de se fazer mal devem ser levadas muito a sério.

Mito 2: O suicídio é sempre impulsivo e acontece sem aviso. FALSO. Um suicídio pode ser planejada durante algum tempo. Muitos indivíduos suicidas comunicam algum tipo de mensagem verbal ou comportamental sobre as suas intenções. 

Mito 3: Os indivíduos suicidas querem mesmo morrer ou estão decididos a matar-se. FALSO. A maioria das pessoas que se sentem suicidas partilham os seus pensamentos com pelo menos uma outra pessoa

Mito 4: Quando um indivíduo mostra sinais de melhoria ou sobrevive a uma tentativa de suicídio, está fora de perigo. FALSO. Na verdade, um dos períodos mais perigosos é imediatamente depois da crise. Isso vale, inclusive, para quando a pessoa está no hospital, depois de uma tentativa.

Mito 5: O suicídio é sempre hereditário. FALSO. Nem todos os suicídios podem ser associados à hereditariedade. Uma história familiar de suicídio, no entanto, é um fator de risco importante para o comportamento suicida, particularmente em famílias onde a depressão é comum.

Mito 6: Os indivíduos que tentam ou cometem suicídio têm sempre alguma perturbação mental. FALSO. Os comportamentos suicidas têm sido associados à depressão, abuso de substâncias, esquizofrenia e outras perturbações mentais, além de aos comportamentos destrutivos e agressivos. No entanto, esta associação não deve ser sobrestimada. A proporção relativa destas perturbações varia de lugar para lugar. Além disso, existem casos em que nenhuma perturbação mental foi detectada.

Mito 7: Se um conselheiro falar com uma pessoa fragilizada sobre suicídio, o conselheiro está a dar a ideia de suicídio à pessoa. FALSO. Um conselheiro obviamente não causa comportamento suicida simplesmente por perguntar aos clientes se estão a considerar fazer-se mal. Na verdade, reconhecer que o estado emocional do indivíduo é real, e tentar normalizar a situação induzida pelo stress são componentes necessários para a redução da ideação suicida.

Mito 8: O suicídio só acontece “àqueles outros tipos de pessoas,” não a nós. FALSO. O suicídio acontece a todos os tipos de pessoas e encontra-se em todos os tipos de sistemas sociais e de famílias.

Mito 9: Após uma pessoa tentar cometer suicídio uma vez, nunca voltará a tentar novamente. FALSO. Na verdade, as tentativas de suicídio representam os primeiros passos para o suicídio em si.

Mito 10: As crianças não cometem suicídio dado que não entendem que a morte é final e são cognitivamente incapazes de se empenhar num ato suicida. FALSO. Embora seja raro, as crianças cometem suicídio. Qualquer gesto, em qualquer idade, deve ser levado muito seriamente.

Leave your vote

11 points
Upvote Downvote

Total votes: 25

Upvotes: 18

Upvotes percentage: 72.000000%

Downvotes: 7

Downvotes percentage: 28.000000%