10 mitos sobre o suicídio que precisam ser derrubados

suicídio

derrube dez mitos sobre o suicídio

A cada 45 minutos uma pessoa se mata no Brasil. E a cada 40 segundos, alguém se mata em alguma parte do mundo. As informações são do CVV, o Centro de Valorização da Vida. Desde 1962, a instituição se dedica à prevenção do suicídio no Brasil através de atendimento telefônico gratuito. Recentemente, a organização anunciou que vai se juntar ao Facebook. Será desenvolvida uma ferramenta online para facilitar ainda mais o atendimento para quem precisa.

A mudança na abordagem do CVV se dá em razão do dado alarmante que começa este texto. E para chamar atenção para a temática, espaços púbicos do mundo inteiro recebem uma iluminação especial na cor amarela durante o mês de setembro. A iniciativa, chamada de Setembro Amarelo,  surgiu no Brasil em 2014 mas já ganhou forte adesão Brasil afora, inclusive nas redes sociais.

Encabeçada pelo próprio CVV, pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) e pela ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), a campanha pretende quebrar tabus, falando sobre o assunto, esclarecendo, conscientizando e estimulando a prevenção para reverter esse cenário.

A contribuição do Spread Welo para a campanha é trazer 10 mitos sobre o assunto que precisam ser derrubados. As informações foram retiradas de uma cartilha publicada pela Organização Mundial de Saúde. E aí, vamos derrubar esses mitos?

suicídio
por Xoana Herrera / Divulgação

Mito 1: As pessoas que falam sobre o suicídio não farão mal a si próprias, pois querem apenas chamar a atenção. FALSO.  Fique de olho em que idealiza  um plano suicida. Todas as ameaças de se fazer mal devem ser levadas muito a sério.

Mito 2: O suicídio é sempre impulsivo e acontece sem aviso. FALSO. Um suicídio pode ser planejada durante algum tempo. Muitos indivíduos suicidas comunicam algum tipo de mensagem verbal ou comportamental sobre as suas intenções. 

Mito 3: Os indivíduos suicidas querem mesmo morrer ou estão decididos a matar-se. FALSO. A maioria das pessoas que se sentem suicidas partilham os seus pensamentos com pelo menos uma outra pessoa

Mito 4: Quando um indivíduo mostra sinais de melhoria ou sobrevive a uma tentativa de suicídio, está fora de perigo. FALSO. Na verdade, um dos períodos mais perigosos é imediatamente depois da crise. Isso vale, inclusive, para quando a pessoa está no hospital, depois de uma tentativa.

Mito 5: O suicídio é sempre hereditário. FALSO. Nem todos os suicídios podem ser associados à hereditariedade. Uma história familiar de suicídio, no entanto, é um fator de risco importante para o comportamento suicida, particularmente em famílias onde a depressão é comum.

Mito 6: Os indivíduos que tentam ou cometem suicídio têm sempre alguma perturbação mental. FALSO. Os comportamentos suicidas têm sido associados à depressão, abuso de substâncias, esquizofrenia e outras perturbações mentais, além de aos comportamentos destrutivos e agressivos. No entanto, esta associação não deve ser sobrestimada. A proporção relativa destas perturbações varia de lugar para lugar. Além disso, existem casos em que nenhuma perturbação mental foi detectada.

Mito 7: Se um conselheiro falar com uma pessoa fragilizada sobre suicídio, o conselheiro está a dar a ideia de suicídio à pessoa. FALSO. Um conselheiro obviamente não causa comportamento suicida simplesmente por perguntar aos clientes se estão a considerar fazer-se mal. Na verdade, reconhecer que o estado emocional do indivíduo é real, e tentar normalizar a situação induzida pelo stress são componentes necessários para a redução da ideação suicida.

Mito 8: O suicídio só acontece “àqueles outros tipos de pessoas,” não a nós. FALSO. O suicídio acontece a todos os tipos de pessoas e encontra-se em todos os tipos de sistemas sociais e de famílias.

Mito 9: Após uma pessoa tentar cometer suicídio uma vez, nunca voltará a tentar novamente. FALSO. Na verdade, as tentativas de suicídio representam os primeiros passos para o suicídio em si.

Mito 10: As crianças não cometem suicídio dado que não entendem que a morte é final e são cognitivamente incapazes de se empenhar num ato suicida. FALSO. Embora seja raro, as crianças cometem suicídio. Qualquer gesto, em qualquer idade, deve ser levado muito seriamente.

Leave your vote

5 points
Upvote Downvote

Total votes: 7

Upvotes: 6

Upvotes percentage: 85.714286%

Downvotes: 1

Downvotes percentage: 14.285714%